E-mail para envio de artigos para o Café Acadêmico
<<< voltar
LENTES DE CONTATO MULTIFOCAIS: SIM, ELAS EXISTEM.
Na Renascença, Leonardo Da Vinci (1452-1519) e René Descartes (1596-1650) já haviam idealizado uma lente de contato (LC), porém as primeiras descrições só surgiram entre 1827 e 1845, pelo astrônomo inglês John F.W. Herschell. Na época as lentes eram feitas de vidro, causando grande dano à saúde ocular.
Dr Brunno Santos.

Xavier Galezowksi (1886) desenvolveu uma lente de contato gelatinosa contendo uma solução a base de cocaína e cloreto de mercúrio, muito utilizada na época em pós-operatórios.
Em 1889, na Universidade de Kiel, Alemanha, August Müller, durante sua tese de Doutorado, descobriu a importância da boa circulação da lágrima para o uso bem sucedido das lentes de contato, permitindo então que Joseph Dallos, na década de 30, observasse que as lentes que se movimentavam com o piscar eram mais bem toleradas que aquelas que pouco se moviam ("apertadas").
Cleber Godinho (Belo Horizonte), ao ministrar suas aulas a partir da década de 90, desenvolveu novas técnicas de adaptação das lentes rígidas, conseguindo-se assim excelente qualidade de visão e conforto em seus pacientes, chamada carinhosamente por seus discípulos de "padrão CG", com reconhecimento internacional.
Muitos materiais foram e continuam sendo pesquisados, sendo que algumas LC de hoje permitem uma boa transmissão de oxigênio através de seu próprio material, e que quando bem adaptadas pelo médico for possível manter boa circulação do filme lacrimal, permitem inclusive o seu uso durante o sono, evitando o transtorno do manuseio e manutenções diárias.
Uma das maiores evoluções das LC refere-se ao desenvolvimento das lentes de contato multifocais, que permitiu aos pacientes com mais de 40 anos, portadores de "vista cansada" (presbitas), que antes eram obrigados a realizar a monovisão (um olho "bom para longe" e o outro "bom para perto") a poderem enxergar bem com ambos os olhos tanto para longe quanto para perto. Foi possível então dar uma excelente qualidade de visão aos pacientes desta faixa etária, sem o inconveniente uso dos óculos, um verdadeiro estorvo nos dias atuais, já que as pessoas acima dos 40 anos hoje praticam esportes e freqüentam academias de ginástica com mais assiduidade que em décadas passadas e anseiam cada vez mais por uma aparência mais jovial.
Fator importante das LC multifocais é que a maior parte da composição de seu material é feita a base de água, tornando tais lentes extremamente confortáveis. Outra vantagem é que com elas o paciente não necessita ficar adotando posições com a cabeça para ler ou focar algum objeto, como ocorre com o uso dos óculos multifocais.
O verdadeiro segredo das LC multifocais baseia-se em dois aspectos: (1) sua tecnologia de engenharia e concepção; (2) o conhecimento científico e das técnicas de adaptação desta lente ao olho do paciente, por parte do médico oftalmologista.
Cabe ainda lembrar que a adaptação de lentes de contato é ato médico indelegável, conforme dispõem os decretos 20.931/32 e 24.492/34, o Conselho Federal de Medicina e o Código de Ética Médica, sendo que a adaptação por pessoas não médicas é considerada prática ilegal da medicina, podendo comprometer a saúde ocular do paciente de forma grave e irresponsável. Converse com o seu oftalmologista.


Brunno Santos é médico-oftalmologista.


<<< voltar